Os perigos do vape. Separando fato da ficção

0
2027
Os perigos do vape. Separando fato da ficção

A mídia e diversos governos estão focados a desencorajar o uso de cigarros eletrônicos. Todos vemos semanalmente o frenesi da mídia e dos legisladores estaduais falando sobre os perigos do vape, se as informações retratadas fossem baseadas em evidências científicas com a intenção de educar o público sobre as realidades dos cigarros eletrônicos e dos vapes, nós nos alegraríamos e aplaudiríamos seu movimento. Infelizmente, as informações retratadas, embora não sejam falsas, são distorcidas de tal maneira que os cigarros eletrônicos realmente parecem mais prejudiciais do que fumar cigarros tradicionais. Vamos dar uma olhada em algumas das informações que muita gente anda compartilhando.

1 – A nicotina principalmente no vape é tão viciante quanto a heroína

De acordo com Jonathan Foulds, professor de ciências da saúde pública e psiquiatria da Penn State College of Medicine, seu estudo E-Cigarettes Less Addictive Cigarettes, descobriu que os cigarros eletrônicos parecem ser bem menos viciantes que os cigarros de tabaco.

2 – A nicotina é extremamente perigosa

De fato em altas doses ela é letal e como vapor no cigarro eletrônico isso é praticamente impossível. Em um artigo publicado no blog comentamos que a nicotina está sendo usada em vários estudos médicos como um possível medicamento para uma infinidade de condições, de Parkinson à depressão.

3 – Alguns estudos sugerem que os cigarros eletrônicos prejudicam os esforços para parar de fumar.

Essa talvez seja uma das maiores fake news. Além da infinidade de evidências de pessoas como nós que pararam de fumar usando cigarros eletrônicos. A pesquisa descobriu que os cigarros eletrônicos são um método eficaz para ajudar a parar de fumar, pois reduzem com êxito os desejos com efeitos colaterais mínimos. Tem dúvidas? Visite qualquer fórum sobre cigarros eletrônicos e leia os relatos de ex fumantes que tentaram de tudo e só conseguiram largar o cigarro com o uso do vape.

4 – Produtos químicos tóxicos e causadores de câncer foram encontrados no vapor do cigarro eletrônico, incluindo formaldeído, acetaldeído, benzeno, cádmio, isopreno, chumbo, níquel e muito mais.

Um estudo conduzido pelo Dr. Igor Burstyn, PhD, escola de saúde pública da Universidade Drexel descobriu que não há evidências de níveis de contaminantes que possam estar associados a riscos à saúde, incluindo acroleína, formaldeído, TSNA e metais. Além disso, o Dr. Peter Hyak supervisionou um estudo testando os níveis de toxinas e monóxido de carbono do vapor de cigarro eletrônico e não encontrou nenhum.

5 – PG/VG e Diacetil podem danificar seus pulmões

Curiosamente, apesar de ser considerado perigoso para inalar, o PG tem sido usado em inaladores de asma há anos. O VG é usado há anos em várias indústrias farmacêuticas e de processamento de alimentos por seus potenciais benefícios à saúde. A verdade sobre o diacetil, embora encontrada em uma pequena amostra de cigarros eletrônicos, mostrou um nível nessas amostras 110 vezes menor do que a quantidade encontrada nos cigarros tradicionais.

6 – Cigarros eletrônicos danificam as células pulmonares

Grandes cidades como São Paulo com a sua poluição também danificam células pulmonares. Uma comparação real que precisa ser feita é o efeito nos pulmões em comparação com o consumo de cigarros tradicionais. Pois a ideia do cigarro eletrônico sempre foi essa, a troca de um pelo outro.

Conclusão

Além dessas alegações relacionadas à saúde, existem também várias alegações sobre as intenções da indústria do vape, como marketing e tentativa de viciar crianças. Embora os motivos da industria do tabaco possam e devam ser questionados, a indústria vaping de base visa oferecer uma alternativa ao tabaco para fumantes adultos.

Neste Blog não defendemos que qualquer pessoa que nunca tenha fumado use cigarro eletrônico mas sim que pessoas que fumam e já tentaram de tudo para largar troquem seus cigarros tradicionais pelo vape. Se existe cigarro a venda tem que existir alternativas menos nocivas a saúde também, o resto é hipocrisia.

É mais importante do que nunca educar o público e defender nosso direito ao cigarro eletrônico. Eduque-se, eduque sua comunidade e informe sua legislação sobre como o cigarro eletrônico afetou sua vida. Não podemos superestimar os perigos do vape.