O vapor do vape contém monóxido de carbono?

0
2041
O vapor do vape contém monóxido de carbono

Provavelmente muitos vapers iniciantes e até os mais experientes já se perguntaram se o vapor do vape contém monóxido de carbono, a boa notícia é que já existem diversos estudos para responder essa pergunta.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (U.S. Centers from Disease Control and Prevention – CDC) dos EUA, aproximadamente 50.000 pessoas a cada ano visitam o pronto-socorro por envenenamento acidental por monóxido de carbono.

O monóxido de carbono é um assassino silencioso. No entanto, a maioria dos americanos não tem consciência de que seus cigarros de tabaco favoritos produzem uma fumaça tóxica que é misturada com essa substância química mortal. O vapor do vape, por outro lado, é totalmente livre de monóxido de carbono, de acordo com um estudo recente conduzido por cientistas de três grandes universidades americanas.

Pesquisadores da Universidade de Nova York, da Universidade de Vermont e da Universidade de Nebraska se uniram para responder a uma pergunta importante. A vaporização é realmente tão prejudicial à saúde quanto fumar?

Como cientistas de classe mundial, eles já estavam familiarizados com uma declaração de décadas sobre o tabagismo feita em 1976 pelo Dr. Michael Russell, um pioneiro no campo da minimização dos danos do tabaco. Russell é famoso por ter dito: “As pessoas fumam para obter nicotina, mas morrem por causa do alcatrão”.

Vape x Cigarrro

A ciência mostra que a única maneira de produzir fumaça infundida com alcatrão tóxico é queimar folhas de tabaco e inalar a fumaça. A equipe de pesquisa de três universidades também sabia que, quando as folhas de tabaco são queimadas, elas liberam um gás de monóxido de carbono tóxico. Eles também aprenderam por meio de suas pesquisas que os e-líquidos usados ​​na vaporização são completamente livres de tabaco. Portanto, o vapor produzido a partir dos produtos de vaporização também deve ser totalmente isento de monóxido de carbono, certo?

Essa hipótese foi a base de sua pesquisa experimental – cujas descobertas foram publicadas em um novo estudo intitulado, Minimização de danos e controle do tabaco: reformulando as visões sociais do uso da nicotina para salvar vidas rapidamente (NCBI). Liderados pelo Dr. David Abrams, da Universidade de Nova York, os cientistas chegaram às seguintes conclusões.

“O aerossol do cigarro eletrônico é muito diferente (do que a fumaça do tabaco combustível). Os cigarros eletrônicos não contêm tabaco e não produzem monóxido de carbono. O continuum de danos enfatiza um ponto-chave: não é que os cigarros eletrônicos sejam completamente seguros, ou mesmo o produto contendo nicotina mais seguro disponível, mas que eles são muito mais seguros do que fumar. Os NRTs são seguros o suficiente para que o CDER os tenha aprovado para uso do consumidor sem receita há mais de duas décadas. O uso de NRT a longo prazo foi endossado como uma estratégia aceitável para reduzir a morbidade e mortalidade por fumar. ”

Equívocos comuns sobre a nicotina

A equipe de Abrams também menciona um equívoco bastante comum entre os americanos médios e até mesmo uma porcentagem significativa da comunidade médica. Ou seja, os pesquisadores apontam que só porque os produtos para vaporizar e fumar contêm nicotina não significa necessariamente que eles são igualmente letais.

A nicotina, afirmam eles, é comprovadamente não cancerígena e tem alguns benefícios que muita gente desconhece. E pesquisas adicionais indicam que, quando os fumantes adultos fazem a transição completa para a vaporização com nicotina, suas funções miocárdicas e respiratórias mostram grandes melhorias nos primeiros sete dias.

“Para a maioria dos fumantes, há pouca evidência de que a nicotina em si causa qualquer uma dessas classes de doença quando dissociada da fumaça… Embora o uso de nicotina represente algum risco de doença cardiovascular, é diminuído pelo risco apresentado por fumar cigarros … A nicotina em si não parece causar câncer, mesmo em ex-fumantes … Fumantes que mudam para vape experimentaram uma capacidade pulmonar melhorada e asma menos frequente … As evidências também indicam que a nicotina em si é relativamente seguro quando obtido a partir de NRT (terapias de reposição de nicotina) aprovadas pelo CDER, amplamente utilizado para parar de fumar. ”

Em suma, a vaporização não é o inimigo aqui. Nem a nicotina. O verdadeiro adversário nesta história é o tabaco, porque a queima de folhas de tabaco cobre os pulmões e as vias respiratórias do fumante com alcatrão espesso que pode causar doenças e até a morte. A queima de folhas de tabaco associada ao fumo – não à vaporização – também é a única responsável pelo excesso de monóxido de carbono encontrado nos sistemas corporais de quase todos os fumantes regulares.