Brasil proíbe os produtos que ajudaram a Suécia a ter sucesso contra o tabagismo e o câncer

0
311
Brasil proíbe os produtos que ajudaram a Suécia a ter sucesso contra o tabagismo e o câncer

Por Federico N. Fernández*

A Suécia está caminhando para se tornar um país livre de fumaça em 2023, com uma redução significativa nas doenças e mortes relacionadas ao cigarro. As políticas para combater o tabagismo no Brasil vão na direção oposta.

A recente pesquisa de opinião realizada pela Ipsos e encomendada pela Rede Somos Inovação lançou nova luz sobre as razões pelas quais ex-fumantes suecos recorrem aos Produtos de Nicotina sem Combustão (PNSC) e os fatores que influenciam suas decisões. O estudo, intitulado “A opinião dos suecos sobre as alternativas ao cigarro. Uso de produtos de nicotina alternativos entre ex-fumantes”, oferece dados valiosos sobre as motivações subjacentes à crescente tendência de uso de PNSC entre ex-fumantes.

A pesquisa Ipsos revela que a preocupação com a saúde é a principal motivação dos ex-fumantes suecos para mudar para os PNSC. Embora considerações sociais e econômicas também desempenhem um papel, a maioria dos ex-fumantes dá prioridade à sua saúde acima de tudo.

A disponibilidade de uma ampla gama de PNSC é crucial para deixar de fumar. Embora os SNUS ainda sejam a opção mais popular na Suécia, cada vez mais pessoas recorrem a alternativas como as bolsas de nicotina e o vape para deixar de fumar. Isso indica uma crescente demanda por produtos inovadores que ajudem a deixar de fumar.

Graças à crescente tendência de uso de PNSC entre ex-fumantes, a Suécia está caminhando para se tornar um País Livre de Fumaça em 2023. Isso se traduziu em uma redução significativa de doenças e mortes relacionadas ao tabagismo no país. De fato, a Suécia tem a menor incidência de doenças relacionadas ao tabagismo na Europa e a taxa mais baixa de mortes prematuras por causas relacionadas ao tabaco. Além disso, as mortes por câncer de pulmão na Suécia são menos da metade da média da União Europeia (UE), enquanto o total de mortes por câncer é 38% inferior à média da UE. Além disso, as taxas de câncer na Suécia são 41% mais baixas do que no resto da UE. Essas impressionantes estatísticas demonstram o impacto notável que os PNSC tiveram na saúde pública e na qualidade de vida das pessoas.

No Brasil, a venda de produtos de vaping e tabaco aquecido está proibida desde 2009, e as autoridades sanitárias desaconselham fortemente seu uso. Apesar de ter realizado uma consulta pública, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu, em julho de 2022, manter a proibição de importação, publicidade e venda desses produtos. Essas decisões refletem a tendência das autoridades brasileiras em implementar políticas de proibição que rejeitam os produtos de nicotina inovadores e mais seguros. O Brasil tem muito a aprender com as políticas suecas e deve considerar a adoção dos PNSC como uma estratégia para mitigar os danos causados pelo tabagismo.

A pesquisa da Ipsos e Somos Inovação oferece informações valiosas sobre a crescente tendência de uso de PNSC entre os ex-fumantes suecos e suas razões. Os ex-fumantes suecos se preocupam com sua saúde e essa é a principal motivação para a mudança. Além disso, eles também valorizam o acesso a uma ampla variedade de produtos, sabores, níveis de nicotina razoáveis, preços acessíveis e opções personalizadas.

Ao escolher um PNSC, os consumidores dão prioridade ao sabor e ao nível de nicotina. A maioria dos consumidores precisa encontrar um produto com o sabor e o nível de nicotina adequados às suas preferências. Curiosamente, as mulheres tendem a enfatizar mais esses fatores do que os homens, destacando a importância da adaptação e personalização do produto.

Um preço acessível também é crucial para que os fumantes mudem para PNSC. De acordo com o estudo encomendado pela Somos Inovação, 61% dos usuários de PNSC acreditam que as opções mais acessíveis ou mais baratas do que os cigarros são fundamentais para que os fumantes parem de fumar. Isso destaca a necessidade de preços competitivos para os PNSC e impostos com base em seu menor risco, para incentivar mais pessoas a fazer a mudança.

Os governos em todo o mundo precisam apoiar a crescente tendência de uso de PNSC e adotar um papel mais proativo para incentivar os fumantes a parar de fumar. Os responsáveis políticos no Brasil podem aprender com as políticas suecas e contribuir para reduzir as taxas de tabagismo e melhorar a saúde pública por meio da regulamentação inteligente de produtos de nicotina inovadores e mais seguros, em vez de persegui-los.

*Federico N. Fernández é um líder visionário dedicado a impulsionar a inovação e a mudança. Como Diretor Executivo da Somos Inovação, uma rede global de mais de 30 think tanks, fundações e ONGs, Federico defende soluções inovadoras em todo o mundo. Sua experiência e paixão pela inovação lhe renderam o reconhecimento de publicações prestigiadas como The Economist, El País, Folha de São Paulo e Newsweek. Federico também proferiu discursos e conferências inspiradoras em três continentes, escreveu vários artigos acadêmicos e compilou vários livros sobre economia.